Colhedora de café da case é destaque em evento no Espírito Santo

Cientes da importância da mecanização agrícola, produtores do café tipo conilon da região de São Mateus (ES) acompanharam o desempenho da colhedora Coffee Express 200 em operação. Além da colheita, os cafeicultores também tiraram dúvidas durante o evento através dos especialistas da Case IH, marca da CNH Industrial. As atividades foram desenvolvidas em parceria com a concessionária Werner.

As pesquisas para viabilizar a colheita mecanizada do café conilon começaram há cerca de dez anos no Espírito Santo e envolveram engenheiros do Incaper (Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência Técnica e Extensão Rural), empresas públicas e privadas e cafeicultores do estado. “A forma de plantio para a colheita mecanizada foi alterada, reduzindo espaçamento entre plantas, número de hastes por planta e trabalhando com plantio de um clone por linha, padronizando a lavoura para facilitar a colheita mecanizada”, explica Mauricio Infantini, Engenheiro de Inovação da Case IH.

Segundo Mauricio, entre os importantes aspectos observados durante as pesquisas está a uniformidade na altura da copa das plantas, para que o ajuste das varetas na hora da remoção do fruto (derriça) não danifiquem a parte produtiva do ano seguinte.

Coffee Express 200 Multi

A colhedora de café Coffee Express 200 Multi é equipada com tanque graneleiro de 2 mil litros, que em alguns casos elimina e/ou reduz a necessidade de acompanhamento de tratores e carretas cafeeiras. “Vale ressaltar que a descarga do tanque graneleiro pode ser realizada com a máquina parada e/ou com ela em operação, ou seja, é possível colher e descarregar ao mesmo tempo”, afirma Mauricio.