Conselho do Agro define pauta de reivindicações para encaminhar aos candidatos à Presidência da República

Entregar aos candidatos à presidência da República um documento com as principais diretrizes relacionadas ao desenvolvimento e atividades do setor do agronegócio brasileiro.

Foi com esse objetivo que na última terça-feira, 31/07, os integrantes do Conselho do Agro, que conta com um colegiado com as principais lideranças do setor, estiveram reunidos na sede da Confederação da Agricultura e de Pecuária do Brasil (CNA), em Brasília.

O documento, definido pelo Conselho do Agro contém as propostas consideradas prioritárias do setor para os próximos 10 anos. Segundo o presidente da CNA, João Martins, “esse documento espelha realmente o que pensam todos os segmentos da agropecuária e o que acreditam que os próximos presidentes devem executar para que o Brasil retorne à condição de normalidade política, social e econômica”.

O trabalho é dividido em seis eixos principais, direcionados para Fundamentos, Mercado, Inovação, Sustentabilidade, Governança e Imagem, e, a partir destes tópicos, são abordados pontos como segurança jurídica, competitividade internacional, infraestrutura e logística, inovação tecnológica, entre outros. A ideia é apresentar uma visão conjuntural da atualidade e um diagnóstico, com metas e estratégias para o longo prazo.

Na opinião do presidente do Conselho Nacional do Café, Silas Brasileiro, nada no Brasil é mais importante do que o agro, mas isso não tem sido destacado como deveria. Segundo ele, a atuação do presidente da CNA tem sido fundamental nesse sentido. “Graças ao empenho do nosso presidente e de todo o colegiado, o documento que será apresentado mostrará, efetivamente, a nossa preocupação e levará aos presidenciáveis um momento de reflexão, em relação ao que o agro é e representa para o futuro do nosso país”, destacou Brasileiro. O intuito, segundo ele, é consolidar o Brasil como a principal potência do agro internacional.

Participaram da reunião as 15 entidades do Conselho, criado para defender temas de interesse do setor e do País e que representam os produtores rurais de diversas cadeias produtivas e segmentos da agropecuária – entre elas a Sociedade Nacional de Agricultura (SNA), representada por seu presidente, Antonio Mello Alvarenga, além de especialistas que atuaram na elaboração das propostas do plano.

(Reportagem: Sociedade Nacional de Agricultura com informações da CNA)