De olho na popularização da internet no campo, John Deere investe em soluções inteligentes

De acordo com dados prévios divulgados pelo IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) neste ano, a área ocupada pela agropecuária no País cresceu 5% em 11 anos, chegando a 350 milhões de hectares, atualmente. Quando falamos especificamente do Rio Grande do Sul, este índice sobe para 6,6%. O aumento de área cultivável, aliada à tecnologia disponível no setor, é sinônimo de maior produtividade para o agricultor.

Ainda de acordo com a pesquisa, o acesso à internet no campo passou de 75 mil para 1,4 milhão de produtores rurais conectados (crescimento de 1790% em relação a 2006), dado que colabora ainda mais para uma lavoura eficiente. Exemplos desse avanço são as duas últimas safras de grãos do Brasil, que foram as maiores já registradas na história do País.

Atenta à necessidade do produtor de buscar na tecnologia os recursos para produzir mais e de forma sustentável, a John Deere confirma presença na próxima edição da Expointer, de 25 de agosto a 2 de setembro, em Esteio (RS). Com a campanha #SóJohnDeereConecta, a companhia leva para a feira suas máquinas e soluções inteligentes, voltadas para a agricultura de precisão. “A John Deere oferece a conexão entre maquinário, tecnologia, pessoas e inteligência.

São quatro peças-chave para transformar de vez a agricultura de precisão no que chamamos de agricultura de decisão: uma realidade em que o agricultor terá os dados em suas mãos para chegar a uma decisão mais assertiva, em tempo real, aumentando a produtividade e rentabilidade de sua lavoura. Mostraremos no evento soluções que são menos ferro e mais inteligência, e que colaboram para uma agricultura mais sustentável, em todos os sentidos”, diz Rodrigo Bonato, diretor de Vendas da John Deere Brasil.

Para a Expointer 2018, o grande destaque da companhia é o Centro de Operações, plataforma lançada recentemente pela empresa, que realiza o gerenciamento de dados online, integrando informações das máquinas, de produção e agronômicas para proporcionar melhores decisões ao produtor. As informações obtidas durante as diversas fases da lavoura, por meio do JDLink™ – sistema de gestão de máquinas e frota da marca –, são centralizadas no Centro de Operações e, com estes dados em mãos, o agricultor pode otimizar a operação das máquinas, identificar possíveis reduções de custos, tornar a aplicação de insumos mais eficiente etc, tudo isso à distância. “Trata-se de uma ferramenta aberta e democrática, indicada não só para grandes produtores, mas para todos os perfis e portes de agricultores, inclusive com ganhos reais para a agricultura familiar, que hoje representa quase 84% dos estabelecimentos rurais brasileiros, segundo o Ministério do Desenvolvimento Agrário”, afirma Bonato.

(Fonte: Assessoria de Imprensa)