Empresas do setor mineral estudam intervenções da Samarco após rompimento de barragem em 2015

Representantes de empresas do setor mineral visitaram o Complexo de Germano, da Samarco, em Mariana (MG), para conhecer in loco os aprendizados obtidos pela Samarco após o rompimento de Fundão, em 2015.

O evento foi organizado pelo Instituto Brasileiro de Mineração (IBRAM), por meio do Programa MINERAÇÃO, junto com o Mining Hub. Cerca de quarenta e duas pessoas participaram da visita.

O grupo conheceu os reforços realizados nas estruturas do complexo, a contenção de rejeitos e o sistema de gestão integrado de segurança da Samarco, que ganhou robustez e conta atualmente com um moderno Centro de Monitoramento e Inspeção (CMI). “Também foram compartilhadas as experiências da Samarco em relação a implantação do Plano de Atendimento a Emergências em Barragens de Mineração (PAEBM) e do Plano de Atendimento a Emergências (PAE) com outras empresas de mineração, o que possibilitou uma troca de experiência proativa entre as organizações”, afirma a coordenadora do Programa MINERAÇÃO, Cláudia Pellegrinelli.

Para ela, a visita foi muito positiva. “A melhor lição aprendida é que a Samarco enfrentou as dificuldades e foi em busca de soluções”, afirmou. Cláudia destacou, entre as iniciativas conhecidas no local, o Centro de Monitoramento e Inspeção. “Em operação 24 horas por dia, sete dias por semana, o sistema de monitoramento possui cerca de 650 equipamentos de alta tecnologia, como estação robótica e meteorológica, radares de precisão milimétrica e drones, que captam qualquer variação nas estruturas geotécnicas”, explica a gerente do Programa MINERAÇÃO.

O encontro resultou em um aprendizado coletivo. “Essa foi uma oportunidade de compartilhar as nossas experiências na gestão do PAEBM, no sistema de alerta e emergência SAE (sirenes) e na realização de simulados de emergência com as comunidades e, com isso, gerar ensinamento coletivo nos processos de gestão da emergência”, afirma a coordenadora de Infraestrutura da Samarco, Melissa Manger.

Durante a visita, o coordenador de Segurança do Trabalho da Samarco, Lindomar Mesquita, também descreveu algumas mudanças envolvendo as questões de saúde e segurança do trabalho após o acidente em Mariana. “A grande transformação foi fortalecer a gestão de riscos, seja eles críticos ou de menor proporção, mantendo sempre vivo os programas preventivos e capacitação dos empregados. No quesito Barragem, foi realizado investimento forte em tecnologia, investimento humano e em infraestrutura”, conta Lindomar.

Participaram da visita 20 empresas do setor mineral, sendo elas: Alcoa Alumínio S.A., AMG Mineração, Anglo American, AngloGold Ashanti,  ArcelorMittal Mineração Serra Azul, Companhia Brasileira de Metalurgia e Mineração (CBMM), CMOC Brasil, CSN Mineração, EMBU S.A. Engenharia e Comércio, Ferro+ Mineração, Gerdau Mineração, Imerys do Brasil, Jaguar Mining INC, Mineração Serras do Oeste Eireli, Mineração Usiminas, Mosaic Fertilizantes, Nexa Resources, RHI Magnesita, Vale e, também, o Sindicato das Indústrias de Extração de Carvão do Estado de Santa Catarina (SIECESC).

(Fonte: Portal da Mineração)