Geologia e recursos minerais da Amazônia são temas de pesquisa do setor de mineração

Uma das áreas com maior carência de informações geológicas do país, a região amazônica é o tema de diversos estudos que foram lançados pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) durante o 16º Simpósio de Geologia da Amazônia.

O evento ocorreu entre os dias 22 e 24/09, no Centro Cultural dos Povos Indígenas, em Manaus. Também foram apresentadas a carta geotécnica e o mapa das áreas de risco geológico da zona urbana da capital do Estado do Amazonas.

Os projetos Avaliação do Potencial de Terras Raras no Brasil – área Morro dos Seis Lagos e Metalogenia das Províncias Minerais do Brasil – Área Eldorado do Juma foram desenvolvidos com o objetivo de ampliar o conhecimento sobre potencial mineral da Amazônia, região pouco avaliada e explorada, apesar das inúmeras ocorrências de bens minerais que demonstram potencial para a descoberta de novos distritos mineiros.

Como parte da ação de Levantamentos Geológicos Básicos, foram disponibilizados para comunidade científica e setor mineral, dados da geologia e recursos minerais da Folha Rio Roosevelt (1:250.000), da Folha Sumaúma (1:250.000) e do projeto Uatumã-Abonari que compreende as Folhas Igarapé Santa Canoa, Santo Antônio do Abonari e Vila do Pitinga. (1.100.000).

Na área de identificação de risco geológico e prevenção de desastres naturais, o Serviço Geológico do Brasil disponibilizou a Carta Geotécnica da Zona de Expansão Urbana de Manaus e o Mapa das Áreas de Risco Geológico da Zona Urbana de Manaus.

Todas as publicações e os dados obtidos nos projetos de mapeamento encontram-se hospedados no banco de dados corporativo do Serviço Geológico do Brasil, o GeoSGB e disponibilizados e de livre acesso a todos os interessados.

 (Fonte: Assessoria de Imprensa – Ibram)