Monsanto faz primeiro investimento direto em startup brasileira

A divisão global de ventures da Monsanto, a Monsanto Growth Ventures (MGV), juntamente com o Canary e os criadores do fundo OpenVC, investirão R$ 2,3 milhões no desenvolvimento e crescimento da Grão Direto, startup de Uberaba (MG) e criadora de uma plataforma que digitaliza o processo de originação de grãos. Esta é a primeira vez que uma startup brasileira recebe investimentos diretos da MGV, que vem investindo em startups desde 2011.

A Grão Direto conta com uma plataforma web para computadores e aplicativo para smartphones, auxiliando agricultores e compradores a encontrarem os melhores negócios e de modo muito mais eficiente e seguro. “O agricultor, já habituado com a tecnologia no seu dia-a-dia dentro da porteira, agora também pode aproveitar os benefícios da tecnologia em suas vendas. Nós facilitamos o processo de negociação entre o produtor rural e o comprador trazendo muito mais informação e integração para apoiar ambos os lados”, explica Alexandre Borges, CEO da Grão Direto.

Borges conta que a vantagem da Grão Direto é tornar mais ágil, prático e seguro um processo que hoje é todo feito por telefone com muitos desperdícios no caminho. “Atualmente os compradores contatam os produtores por telefone para negociar grãos. Gasta-se muito tempo e dinheiro nesse processo. Na Grão Direto aqueles compradores e vendedores com maior potencial para fazerem negócios são conectados por meio do sistema e podem negociar diretamente seus preços, condições de entrega, prazos e quaisquer outros aspectos importantes para o fechamento. A negociação pode ser toda feita através do sistema”, detalha Borges.

O aplicativo existe há pouco mais de um ano e meio e conta com mais de 1,3 mil produtores de grãos cadastrados. Estes produtores estão espalhados por mais de 250 municípios do Triângulo Mineiro, Noroeste de Minas Gerais e Sul de Goiás. Do lado dos compradores, já são mais de 70 empresas que utilizaram a plataforma para suas negociações, desde cooperativas, tradings, fábricas de ração e corretores.

A intenção da Grão Direto com o aporte é acelerar ainda mais o desenvolvimento de seus produtos e serviços, além de estabelecer parcerias com outras empresas de tecnologia e instituições financeiras para tornar a cadeia de grãos mais digital. Os recursos também serão utilizados para ampliar a área de atuação para as principais regiões produtoras e compradoras de grãos do país, o que demandará aumento no quadro de funcionários. “Nos próximos meses, o objetivo é ampliar bastante a equipe com novas contratações para todas as áreas da empresa”, antecipa Borges.

Acelerar soluções inovadoras

Para o líder da Monsanto Growth Ventures no Brasil, Bernardo Nogueira, o investimento da divisão de ventures da Monsanto em startups, como a Grão Direto, complementa o negócio da Monsanto e oferece aos produtores melhores ferramentas e tecnologias para suas atividades no campo. “O benefício de investirmos em startups é nos manter próximos desses empreendedores, para identificar rapidamente ideias emergentes e promissoras”, diz Nogueira. “Estamos otimistas, pois acreditamos que a Grão Direto, à medida que cresce e evolui como empresa, irá enriquecer o cenário digital em constante mudança da agricultura moderna”, complementa o líder da Monsanto Growth Ventures.

Além da Monsanto Growth Ventures, a Grão Direto também está recebendo aporte dos criadores do fundo OpenVC e do Canary, que concentra seus investimentos em startups que estão na fase entre a captação de investimento semente e a primeira rodada Série A.

“O mercado de agrotech vem crescendo muito no Brasil e estamos olhando com muita atenção para as startups e empreendedores com potencial para deslanchar nesse segmento”, afirma Marcos Toledo, co-fundador do Canary.

Para o OpenVC, o foco é inovar na hora de comprar e vender grãos. “Estamos bastante confiantes na capacidade do time da Grão Direto para transformar a cadeia de comercialização de grãos no Brasil”, diz o co-fundador do OpenVC, Mauro Muratório Not.

Sobre a Grão Direto

A Grão Direto foi fundada em 2016, em Uberaba (MG), com o objetivo de digitalizar a cadeia de commodities agrícolas, ajudando produtores rurais e compradores a comercializarem de modo mais eficiente, seguro, moderno e gerando muito mais integração para todo o mercado. A Grão Direto foi vencedora do programa de aceleração da Startup Farm, finalista do Inovativa Brasil e é uma das startups associadas à ESALQTEC. Além de apoiar a comercialização, a empresa disponibiliza informações exclusivas do mercado físico de grãos, relatórios personalizados, notícias e também ações de marketing. O time de fundadores da Grão Direto é composto por quatro sócios com excelência acadêmica (FGV, USP, UNICAMP), vivência internacional e experiência em segmentos-chave para o negócio: agro, tecnologia, gestão e empreendedorismo.

Sobre a Monsanto Growth Ventures

Em 2011, a Monsanto criou um braço de investimento focado em financiar e se associar a empresas em estágio inicial em todo o mundo. A Monsanto Growth Ventures é o grupo de capital de risco da Monsanto e trabalha com outros investidores para apoiar pequenas equipes empresariais como a Grão Direto, que estão desenvolvendo ferramentas e serviços inovadores para a agricultura globalmente.

Sobre o Fundo OpenVC

OpenVC é um fundo de investimento com a missão de alavancar globalmente startups B2B latino-americanas e abrir o mercado a empresas israelenses que desejam atuar na América Latina. O OpenVC nasceu com a experiência de executivos que fizeram história no mercado brasileiro de tecnologia, os sócios: Mauro Muratório Not, que fundou a operação da Microsoft Brasil e comandou a subsidiária por mais de 10 anos; Osvaldo Barbosa de Oliveira, que liderou a área de Internet na Microsoft Brasil e foi CEO do LinkedIn LATAM; William Kern, que foi COO da Neoway, CEO da Interfile e gerenciou a divisão de Windows e operações na Microsoft Brasil e Ricardo Coelho Duarte, executivo de M&A, que atuou como advisor em empresas como Neoway, Avante e Magnamed.

Sobre o Canary

Fundado em janeiro de 2017, o Canary, fundo de investimento em estágio pré-série A, nasceu com objetivo de impulsionar o ecossistema brasileiro de startups. Desde que iniciou suas operações, já levantou US$ 50 milhões e investiu em mais de 25 projetos. O fundo conta com a participação de uma rede de 50 empreendedores conhecidos por startups de grande sucesso como Instagram, Nubank, VivaReal, GuiaBolso e 99, entre outras.

(Fonte: Assessoria de Imprensa)