Programa da Atlas Copco mira redução de emissão de CO2

A queima de combustíveis fósseis é hoje uma das principais fontes de liberação de gás carbônico (CO2) na atmosfera, o que contribui para a destruição da camada de ozônio, e que, por consequência, atua na aceleração do processo de aquecimento global.

Tendo em vista a seriedade do tema e o compromisso com o meio ambiente, a Atlas Copco, líder em soluções de sustentabilidade, tem em prática, junto à sua divisão de Compressor Technique, um programa interno que visa reduzir as emissões de gás carbônico.

“Por sermos uma empresa com responsabilidade socioambiental e possuirmos certificações ambiental e energética, buscamos continuamente melhorias em indicadores como redução de consumo de água e energia, geração de resíduos e emissão de CO2”, explica Carlos Ribeiro, Gerente de Qualidade, Segurança e Meio Ambiente, na Atlas Copco.

Em relação a emissão de CO2, a companhia avalia dois importantes indicadores: a emissão por transporte, referente a todas as entradas e saídas de peças e máquinas; e a emissão originada pelo consumo de energia, (quantidade de gás carbônico emitido por quilowatt consumido).

No que se refere ao transporte, a empresa investe no controle de fretes aéreos. “Se compararmos os transportes aéreos, rodoviários e marítimos, o primeiro é, com certeza, o que emite mais CO2. Então, quando temos a necessidade de transporte de peças e equipamentos, optamos pelo transporte rodoviário, para o Brasil, e marítimo, para importações e exportações”, afirma o gerente.

Quanto à emissão de CO2 gerada pelo consumo de energia, a primeira ação em direção à redução foi a substituição de 100% das lâmpadas, incluindo escritórios e fábrica, por LED, mais econômicas. A diminuição no tempo de testes de endurance foi outra ação que contribuiu para a redução do consumo de energia e consequente redução na emissão de CO2. “Quando desenvolvemos uma nova tecnologia, testamos o equipamento por muitas horas para avaliarmos seu comportamento e desgaste. Após análise da área de projetos concluiu-se que, em face dos nossos resultados recentes, seria possível reduzir esse período de testes sem comprometer a qualidade do produto e termos ainda uma maior redução no consumo de energia”, relata Carlos.

O próximo passo será atuar na rede de ar comprimido nas linhas de montagem. “Essa tubulação tem certa idade e apresenta pontos de vazamento, o que significa que, para suprí-los, os compressores consomem mais energia. Estudos estão sendo realizados para substituir a nossa linha de ar comprimido atual por um sistema próprio da Atlas Copco, chamado AIRnet, eliminando assim estes vazamentos”, conta Carlos Ribeiro.

Energia Limpa

A partir do segundo bimestre do 2020, a empresa passará a comprar energia limpa do mercado vinda, por exemplo, de origem eólica e solar, o que reduzirá significativamente a emissão de CO2 por energia. “Com a aplicação desse plano, teremos uma ajuda bastante importante para a redução da emissão de carbono de forma a atingirmos nossos objetivos”, finaliza o gerente da Atlas Copco.

Essas ações, somadas à outras como a substituição dos aparelhos de ar condicionado por modelos mais novos e de menor consumo – algo que a empresa está avaliando – deverão gerar uma economia significativa no consumo de energia, o que refletirá na redução de emissão de CO2.

SOBRE COMPRESSOR TECHNIQUE

Compressor Technique Service é uma divisão da área de negócios Compressor Technique da Atlas Copco. Fornece uma gama completa de serviços de pós-venda com o objetivo de maximizar a produtividade dos clientes. A divisão se concentra no fornecimento de peças de reposição, serviços profissionais, monitoramento e soluções de conectividade. A sede da divisão está localizada na Bélgica.

(Fonte: Assessoria de Imprensa)