Tendências digitais no agronegócio serão discutidas em evento no Paraná

A Digital Agro, que deve reunir cerca de sete mil pessoas, entre os dias 11 e 13 de junho, no Parque de Exposições da Frísia, em Carambeí, no Paraná, levará ao público palestras que debaterão as tendências digitais do agronegócio e temas como Smart Farming, Internet das Coisas e os impactos da transformação digital no agronegócio.

Durante o painel “Smart Farming: aplicações e efetividade das tecnologias”, que será realizado no primeiro dia do evento, o fundador da Hypercubes, Fábio Teixeira, falará sobre o uso de imagens hiperespectrais, tecnologia utilizada na sua plataforma e que, com a ajuda de satélites e sensores especiais, identifica alterações moleculares em uma plantação e monitora com precisão o solo da propriedade.

Em seguida, Ole Green falará sobre as tarefas que serão realizadas por robôs e as consequentes mudanças na agricultura durante a palestra “Robótica e implementos inteligentes na agricultura arável”. Green é engenheiro agrônomo, professor do Departamento de Agroecologia da Universidade de Aarhus, na Dinamarca, e fundador e CEO da Agrointelli, empresa focada na sustentabilidade da agricultura arável.

No início da tarde, Daoud Urdu, que é pesquisador de Gestão da Informação na Universidade de Wageningen, na Holanda, abre o painel “Internet das Coisas: desafios e oportunidades”, falando sobre o desenvolvimento de Internet das Coisas para o agronegócio na Europa. Fechando a programação de palestras do primeiro dia, o gerente de Desenvolvimento de Negócios em Agronegócio Inteligente no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD), Fabrício Lira, fala sobre os desafios para a transformação digital no agronegócio brasileiro.

Ainda no tema sustentabilidade, a chefe-adjunta de Pesquisa e Desenvolvimento da Embrapa Territorial, Lucíola Magalhães, apresentará o Projeto Carponis: um satélite brasileiro de alta resolução operado pela Embrapa, cujas imagens são aplicadas nos estudos da produção de alimentos, fibras e energia no Brasil.

Fechando a programação do evento, o painel “Plataformas digitais: integração e sincronização de dados”, traz o engenheiro eletrônico e professor da Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (UPS), Antônio Mauro Saraiva, para falar sobre agricultura de precisão. Em seguida, o diretor de marketing da John Deere, Cristiano Correia, ministra a palestra “Digital conduzindo decisões”, que vai debater temas como agricultura digital, conectividade e inovação no sistema de produção agrícola.

Haverá ainda palestras técnicas em miniauditórios. A terceira edição da Digital Agro conta com mais de 40 expositores e treinamentos especializados.

Serviço
Digital Agro
11 a 13 de junho
www.digitalagro.com.br
Parque de Exposições Frísia
Anexo ao Parque Histórico de Carambeí (PR), Avenida dos Pioneiros, 4.050

Sobre a Frísia Cooperativa Agroindustrial
Fundada em 1925, a Frísia é a cooperativa mais antiga do Paraná e segunda do Brasil. Localizada na região dos Campos Gerais, tem sua produção voltada ao leite, carne e grãos, principalmente, trigo, soja e milho. A cooperativa é resultado da união do trabalho de todos os cooperados e colaboradores; da diversificação da produção, englobando a produção leiteira, de grãos e de proteína animal; e da alta qualidade do que é feito e comercializado, com animais de excelente genética, rastreamento e investimento em tecnologia, infraestrutura e mão de obra. Os valores da cooperativa são Fidelidade, Responsabilidade, Intercooperação, Sustentabilidade, Integridade e Atitude (FRISIA).

Sobre a Fundação ABC
A Fundação ABC é uma instituição de pesquisa agropecuária que realiza trabalhos para desenvolver e adaptar novas tecnologias, com o objetivo de melhorar as produtividades de forma sustentável aos mais de cinco mil produtores rurais filiados às cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, além dos agricultores contribuintes. O trabalho da fundação abrange uma área de 467,2 mil hectares, além de uma bacia leiteira de mais de 678 milhões de litros/ano. A instituição também realiza projetos de pesquisa com empresas privadas, por contratos de cooperação técnica, e mantém vínculos com empresas de pesquisa pública. A sede é em Castro (PR) e os cinco campos demonstrativos e experimentais ficam estrategicamente espalhados pela área de atuação.

(Fonte: Assessoria de Imprensa)