Concrete Show aquece negócios da construção civil; empresas apostam na retomada do setor

De olho no reaquecimento do setor da construção civil, grandes marcas de máquinas e equipamentos demonstraram otimismo na 12ª edição da Concrete Show com a demonstração de novos produtos e inovações tecnológicas.

Realizada entre 14 e 16 de agosto, no São Paulo Expo, o evento reuniu mais de 350 marcas expositoras de mais de 50 segmentos diferentes, e aconteceu em meio a indicativos de retomada da atividade na construção civil, setor que representa 6,2% do PIB nacional e 7,3% da mão de obra.

Para o segmento de máquinas e equipamentos, a feira trouxe novidades das marcas com produtos como escavadeiras, pás carregadeiras, betoneiras, implementos, além de insumos e equipamentos relacionados à produção de cimento e concreto. A Liebherr, por exemplo, destacou a betoneira HTM 804, pá carregadeira L538, o misturador de concreto RIM 1.0 e a autobomba de concreto THP 70 D-C, entre outros equipamentos.

Na visão de Tatiana Bielefeld, coordenadora de Marketing da Liebherr, o cenário tende a melhorar. “Teremos aumento na venda de betoneiras em 2019, puxado pelas exportações e também estamos seguindo a demanda de pás carregadeiras, que está em ritmo crescente no País. Trouxemos para a Concrete Show nossa linha de betoneiras, somos líder no mercado, destacando sistemas de comando EMC-BR, que oferece redução importante do consumo de combustível e menor desgaste do equipamento”, destacou.

A Caterpillar apresentou dois lançamentos durante a feira: a Carregadeira de Rodas Compacta 920K e a Miniescavadeira 303.5E CR (fabricação nacional). Entre as principais funcionalidades destes equipamentos estão a aplicação na construção civil em atividades como obras de construção civil, infraestrutura e saneamento básico.

Para Renata Farina, gerente do segmento de Construção e Agricultura da Caterpillar, as máquinas apresentam características importantes para a execução de serviços. “O modelo 920K foi desenhado e testado no mercado concreteiro e apresenta tamanho mais adequado aos pátios de manobra, comprimento menor e mais agilidade. Já a escavadeira 303.5E é compacta e pode ser usada para trabalhos como assentamento de valas e demais atividades de construção civil”, comentou.

Outro equipamento mostrado na feira pela empresa foi um implemento que realiza mistura de concreto de forma homogênea e facilita a aplicação em canaletas ou tubos, em projetos de calçamento. Além desses lançamentos, também foram destaques da marca a Minicarregadeira 226B3 e a Carregadeira de Rodas SEM 618B.

Compactos

Na área de compactos, a Yanmar mostrou confiança na retomada da economia, principalmente na expansão de obras de habitação. Durante a Concrete Show, a companhia, que atua no Brasil há 60 anos, apresentou a nova série da miniescavadeira ViO20, além de rompedores hidráulicos e a tecnologia SmartAssist Remote (SA-R) presente em quase toda a linha de miniescavadeiras. O novo modelo tem design compacto, que permite a aplicação em espaços reduzidos e apresenta facilidade de transporte.

O coordenador de vendas da Yanmar, Pedro Ferreira, afirmou que a linha da empresa possui uma ampla gama de aplicações. “São máquinas que podem ser aplicadas em obras de saneamento básico, escavação de piscinas, valas e em tanques de açude para criação de peixes. A expectativa é boa para os próximos meses, com os primeiros sinais de aquecimento já presentes”, disse Ferreira.

Inovações

As inovações tecnológicas das marcas também chamaram a atenção do público. Foi o caso da SSAB (multinacional sueca líder mundial na fabricação e comercialização de aços de alta resistência), que trouxe um molde para blocos de concreto feito em aço de alta resistência Hardox, fabricado pela empresa MecBlock.

Para Fábio Silva, engenheiro da SSAB, os produtos comercializados pela empresa atendem a diversos tipos de aplicação. “Trouxemos materiais resistentes com linhas de alta dureza, como a chapa temperada, que oferece aplicações interessantes para a fabricação de formas de bloco de concreto. Já as chapas de menor espessura servem para produtos como betoneiras e na movimentação de agregados e britadores. Acreditamos que existe potencial para esse tipo de produto no Brasil que tem benefícios, principalmente, nos custos. O uso de aço de alta resistência é uma tendência”, defendeu.

A linha de produtos da empresa possui o Strenx utilizado em aplicações estruturais, apresenta valores de limite de escoamento de 600 a 1300MPa e está disponível em chapas entre 0,5 a 160mm de espessura. Já o Hardox, material para aplicações em que a resistência ao desgaste é mais importante, oferece diversas grades de durezas (350 a 650 Brinell), e espessuras entre 0,7 a 160mm.

A SSAB também divulgou o Toolox: aço ferramenta para uso em peças de engenharia, que possui propriedades mecânicas, elevada dureza e já pronto para uso na entrega, sem necessidade de tratamento térmico. O produto oferece custos mais baixos, riscos reduzidos e economia de tempo durante o processo de produção devido a sua excelente usinabilidade. Além dele, a SSAB também mostra na feira a linha de produtos Duroxite disponível por meio da rede global de centros de serviços de desgaste “Hardox Wearparts”, projetado para situações extremas de desgaste, como abrasão, impacto, calor e erosão.

Projeções para a construção civil

De acordo com projeção divulgada pelo Sindicato da Indústria da Construção do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP) em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), a expectativa para este ano é de que o Produto Interno Bruto (PIB) da construção civil brasileira deve crescer 2%.

Entre outros indicadores, as vendas de cimento, um dos principais insumos deste mercado, também voltaram a crescer no Brasil. De acordo com o Sindicato Nacional da Indústria de Cimento (SNIC), somente em abril deste ano 4,4 milhões de toneladas do produto foram comercializadas no País, um aumento de 0,2% em relação ao mesmo mês de 2018. No acumulado de janeiro a abril a alta é ainda maior, totalizando 17 milhões de toneladas, um acréscimo de 0,9% sobre o mesmo período do ano anterior.

(Reportagem: Humberto Domiciano)