Feira de cachaça em BH movimenta R$ 46 milhões em negócios

Belo Horizonte foi palco da maior feira de cachaça do mundo. Considerada uma vitrine da bebida, a Expocachaça, realizada entre 8 a 11 de junho, comemorou 20 anos de atividades, reunindo em sua 27ª edição um público de aproximadamente 45 mil pessoas durante os quatro dias de evento. Além de conhecer os principais produtores e as grandes marcas de cachaça do Brasil, o visitante conferiu uma programação eclética; entretenimento, gastronomia e negócios.

Segundo José Lúcio Ferreira, presidente da Expocachaça, nessa edição foram gerados R$ 46 milhões em negócios durante e após a feira com equipamentos negociados para o exterior e a vinda de empresas internacionais. Outro destaque da Expocachaça foi a 11ª. edição do Brasil Bier, o festival aconteceu dentro da feira e apresentou as principais microcervejarias do cenário nacional. Ao todo os visitantes puderam conferir aproximadamente 600 marcas de cachaças e 50 rótulos de cerveja.

A grande novidade desta edição ficou por conta do lançamento da Carreta Alambique Escola- Brasil. Com 13 metros de comprimento e 52 m² de área útil, o público pôde conhecer todo o espaço do veículo: alambique de cachaça, laboratório, sala de aula para 15 alunos, biblioteca e vidioteca. A carreta ficará sediada em Belo Horizonte, mas vai percorrer todo o Brasil levando até os produtores o conhecimento necessário para produzirem com qualidade e dentro dos padrões legais e exigidos pelo mercado de bebidas destiladas no mundo, tornando a cachaça um produto mais competitivo.

Além de Minas Gerais, a 27ª edição da feira recebeu produtores de outros estados do país, dentre eles, Rio de Janeiro, Bahia, Santa Catarina, Alagoas, entre outros. Essa participação trouxe visibilidade para novas marcas e para a própria bebida que atualmente gera um montante de R$ 6 bilhões em vendas. “ Em termos de negócio essa edição foi muito melhor do que as dos outros anos. O mercado da cachaça está melhorando. Estamos no melhor momento”, afirma Henrique Tenório, da cachaçaria Gogó da Ema.

(Texto: Assessoria de Imprensa)