Feira do setor florestal bate recorde de expositores e público no PR

Durante três dias de muito networking, profissionais e as principais marcas do setor florestal e da indústria da madeira estiveram reunidos no Expo Barigui, para a terceira edição da Lignum Latin America. A feira, que aconteceu entre 11 e 13 de setembro em Curitiba (PR), bateu alguns recordes em relação às edições anteriores.

O número de expositores, que em 2017 foi de 86, subiu para 101; um salto de 17%. A quantidade de visitantes também aumentou significativamente: de 6.188 para 7.503, 21% a mais que na edição anterior.

Para o gerente executivo da Siempelkamp do Brasil, Martin Kemmsies, a Lignum Latin America tem um papel de destaque para o setor: “A relevância desta feira é enorme. É muito legal que a feita voltou a acontecer em Curitiba, que é o epicentro brasileiro na área da madeira.” 

O diretor da Lignum Latin America e CEO da Malinovski, Ricardo Malinovski, se mostrou animado com o sucesso da feira e convidou os participantes para a próxima edição: “A quarta edição da Lignum Latin America será realizada em 2021, quando reuniremos toda a cadeia produtiva da madeira novamente. Estão todos convidados”, concluiu ele.

Parcerias e investimentos anunciados

Algumas empresas aproveitaram o evento para anunciar novas parcerias, como foi o caso da Fuchs e Timber Forest. A Fuchs nomeou a Timber como novo distribuidor do portfólio para manipulação e processamento de madeira nos estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná e São Paulo. “Nossa empresa tem como foco o uso consciente dos recursos disponíveis, desta forma conta com equipamentos de alta confiabilidade e robustez para o setor”, diz Sandro Sato, gerente regional de vendas Fuchs.

A escolha da Timber Forest se deve à estrutura da companhia, alinhada aos anseios da Fuchs. “É uma empresa que responde com um quadro de técnicos e de vendedores, além de unidades operacionais que suportam a demanda e tamanho dos mercados em que atua”, destaca ele.

A Amata, empresa que comercializa madeira sólida, serrada e para processo, aproveitou a Lignum Latin America para anunciar, em primeira mão, um investimento de grande porte no Brasil. Segundo executivo da Amata, Patrick Reydams, trata-se da primeira fábrica de grande porte para fabricação de madeira estrutural, CLT e Glulam. “Vamos começar a aquisição das máquinas já este ano e nosso objetivo é que a fábrica comece a produzir em 2022”, contou ele. 

(Fonte: Assessoria de Imprensa)