Com 500 escavadeiras no Brasil, Link-Belt comemora sete anos de atuação no país

Há sete anos, a LBX chegou ao Brasil trazendo um legado centenário: desenvolver produtos inovadores, que assegurassem maior produtividade e oportunidade de sucesso aos clientes da marca.

Guiada por esse objetivo e estabelecida para atender as demandas em rápido crescimento do setor de construção brasileiro, a filial foi o ponto de partida de uma trajetória de sucesso no país. Atualmente, a empresa já soma quase 500 escavadeiras operando em território nacional, incluindo tecnologias das séries X2, Spin Ace e X3E.

Mesmo pertencendo a linhas diferentes, todos os equipamentos carregam algo em comum: eles aliam a tradição da marca americana de 150 anos de mercado com a tecnologia e qualidade consagradas da indústria japonesa. Todas as máquinas da companhia são fabricadas em instalações de última geração em Chiba, no Japão, e construídas em uma linha de produção com as tecnologias mais avançadas do mercado.

Segundo o CEO da LBX Company, Eric Sauvage, a vinda da companhia para o Brasil faz parte de um plano iniciado há cerca de oito anos. “Trata-se de uma estratégia de longo prazo para a LBX e estarmos completando sete anos em território brasileiro é resultado de muita dedicação e trabalho árduo”, diz. Vale ressaltar que grande parte dos departamentos da unidade não se limitam a atuar no Brasil, atendendo também a América Latina como um todo.

Localizada em Sorocaba (SP), local estratégico que fica próximo aos principais polos logísticos do país, a filial conta com um Centro de Distribuição de peças Link-Belt e um depósito com uma infraestrutura moderna e com alta capacidade de armazenagem e logística, dentro de rígidos padrões de segurança. Com uma área útil de 1.500 m², o depósito de peças reúne cerca de 60 mil itens em estoque, sendo composto por peças originais Link-Belt e ISUZU 100% japonesas, com total garantia, que variam desde kits de vedação para componentes hidráulicos de alta performance até motores completos de uma escavadeira. Além da unidade, a companhia também atua por meio de distribuidores independentes espalhados por toda América Latina, que foram treinados pela fábrica da Link-Belt para atender as necessidades dos clientes da marca.

É possível conhecer todos eles nos sites: https://lbxco.com/brazil/distribuidores.asp e  https://www.lbxco.com/spanish/encuentre-un-distribuidor.asp

A Link-Belt e sua rede de distribuidores contam com um time de profissionais e técnicos altamente especializados, treinados e preparados para atender qualquer necessidade dos clientes no campo. Não é à toa que a empresa tem como visão e compromisso um padrão de excelência e não mede esforços para chegar até esses clientes com soluções completas, rápidas e eficazes.

Novo ano, novas máquinas

Os sete anos da Link-Belt no Brasil está sendo marcado pela introdução da série X3E no mercado latino-americano. Os novos equipamentos da série se destacam por trazer melhorias significativas se comparados as máquinas da série anterior (X2), como, por exemplo, maior qualidade, alta produtividade, robustez e economia – características já consagradas pela Link-Belt, que agora estão ainda melhores.

Representada por máquinas como a 210X3E, 130X3E, 180X3E e 360X3E, a nova série dá show em todos os aspectos, a começar pela segurança. Todos os modelos vêm com cabine ROPS/FOPS, câmera de ré, cinco pontos de iluminação (dois na cabine, dois na lança e um na dianteira, que proporcionam visibilidade a qualquer hora do dia/noite), sistema centralizado de lubrificação e o sistema de rastreamento e telemetria RemoteCARE™. Com cabines 5% maiores, os equipamentos oferecem mais visibilidade ao operador. Sobre a durabilidade, houve um reforço geral na estrutura de todas as máquinas: o braço, que possui chapa de desgaste, e a lança são de estrutura HD (heavy duty), assim como o link da caçamba. Além disso, as escavadeiras da série X3E se destacam por serem potentes, rápidas e precisas.

Elas são equipadas com o motor Isuzu, Diesel e com controle eletrônico para um consumo inteligente de combustível. O motor possui certificação de emissão de poluentes equivalente ao EPA Tier 3. Quando o assunto é economia e alta produtividade, os modelos se destacam por combinarem as tecnologias Sumitomo, agregando mais inteligência na hidráulica e no gerenciamento das bombas, aos motores Isuzu. Além disso, eles podem operar em três modos de trabalho (SP – prioridade na produção; H – serviço pesado; e A – economia com potência aplicada), que permitem escolher a melhor combinação de potência, precisão e economia de combustível para o trabalho que está sendo realizado.

No quesito conforto, a cabine das escavadeiras que compõe a série X3E são silenciosas e pressurizadas, oferecendo excelente visibilidade ao operador. Além de possuir ar condicionado, elas incluem rádio AM/FM com MP3, entrada USB e para fone de ouvido, porta-copo e compartimento climatizado. Para completar, os joysticks ergonômicos possibilitam maior controle, precisão e conforto em todos os trabalhos.

Comprovando a força das escavadeiras Link-Belt, máquina soma 20 anos de história e mais de 35 mil horas de uso na Guatemala

Em 1998, a máquina de modelo 2800Q e número de série E6I8-0665, foi a primeira escavadeira Link-Belt vendida na Guatemala. A máquina foi adquirida para trabalhar em uma ação emergencial decorrente do furacão Mitch, que além da Guatemala, também atingiu El Salvador, a Península de Yucatan e o sul da Flórida naquele ano.

Segundo o comprador da escavadeira, Manuel Orellana, o equipamento atuou em operações de dragagem por cerca de dois meses, em três turnos de trabalho (24 horas). Nas mãos dele, a escavadeira Link-Belt chegou a rodar cerca de 16 mil horas, mas este seria apenas o início de sua jornada. “Posteriormente, vendi o equipamento para um cliente meu, que chegou a utilizá-lo por mais 10 mil horas. Neste período, a escavadeira passou apenas pela reconstrução do motor e da bomba hidráulica, manutenção necessária devido ao tempo de uso”, contou Orellana.

escavadeira-link-belt-guatemala

Equipamento vendido em 1998 já passou por três clientes e continua operando a todo vapor, com pouquíssimos reparos.

 

 

 

 

 

 

 

Mais tarde, a 2800Q foi vendida para um terceiro cliente, com quem completou uma jornada de mais de 35 mil horas de trabalho. Atualmente, a escavadeira opera em uma pedreira no Noroeste do país e, mesmo com 20 anos de história, ela continua dando um show de produtividade por onde passa. “Recentemente, encontrei a máquina operando na pedreira e constatei que o horímetro marcava 35.023 horas de operação. É maravilhoso! Isso mostrou que eu trabalho com a melhor escavadeira do mundo”, finalizou Orellana, que atualmente é sócio proprietário da distribuidora La Conquista, empresa representante das escavadeiras Link-Belt na Guatemala.

(Fonte:  Informações da Link-Belt no Brasil)