New Holland consolida referência de inovação com máquinas acessíveis e ações sustentáveis

Presente há quase 70 anos no Brasil, a New Holland Construction, marca da CNH Industrial, foi eleita uma das empresas mais inovadoras do Brasil pelo segundo ano consecutivo, no Prêmio Valor Inovação Brasil 2019. A pesquisa desenvolvida pelo jornal Valor Econômico, em parceria com a Strategy&, consultoria estratégica do Network PwC, franqueou a empresa com o 1º lugar no setor Automotivo e Veículos de Grande Porte. Pela primeira vez, a CNH Industrial também apareceu entre as 10 mais inovadoras do país.

Recentemente, três iniciativas reforçaram esse DNA inovador: a retroescavadeira conceito B95B Acessível, a tecnologia de Biometria para máquinas de construção e o programa Aterro Zero da fábrica de Contagem (MG).

Versão conceito de uma das retroescavadeiras de maior sucesso do mercado brasileiro, a B95B Acessível foi projetada para oferecer ao operador com mobilidade reduzida as mesmas condições de trabalho, conforto, performance e praticidade de uma retroescavadeira convencional. Inclusão é a palavra-chave dessa máquina, que possui uma plataforma de elevação e um joystick que comanda os movimentos necessários para realizar o embarque/desembarque e o acesso à cabine até a poltrona do operador. A configuração inclusiva permite que a retroescavadeira também seja operada por pessoas sem mobilidade reduzida.

“Essa nova configuração de máquina é totalmente inclusiva. A solução representa um marco para a sociedade, ao proporcionar novas oportunidades de trabalho, além de auxiliar as empresas, promovendo a integração daqueles que estavam excluídos do mercado de trabalho”, afirma o gerente de Marketing da New Holland Construction, Giovanni Borgonovo.

Biometria dispensa chave para acesso à cabine

Apresentada na versão conceito Conecta da pá-carregadeira W190B, durante a M&T Expo 2018, a Biometria permite acessar a cabine e acionar a ignição do motor das máquinas de construção com apenas um toque. A operação, simples e prática, pode ser feita em um tablet ou smartphone, onde o operador definirá um nível de acesso adequado à cada integrante do seu time. A exemplo da B95B Acessível, a Biometria é uma tecnologia conceito em fase de validação.

“A Biometria controla o acesso à operação da máquina com baixo custo de manutenção e em níveis personalizados, permitindo a identificação dos usuários e maior segurança, tanto durante a operação como fora de serviço, reduzindo as chances de furto da máquina”, explica Borgonovo.

Aterro Zero na fábrica de Contagem (MG)

 No início de 2019, a fábrica da New Holland Construction no Brasil alcançou uma ousada meta: tratar 100% dos resíduos. Iniciado em 2016, o programa Aterro Zero foi implantado em fases, fundamentado na filosofia World Class Manufacturing (WCM) da CNH Industrial, certificação internacional que atesta a excelência nos processos produtivos e na adoção das melhores práticas de trabalho, e na metodologia da Pirâmide de 5R – recusa do resíduo (logística reversa), redução, reaproveitamento, reciclagem e recuperação. O resultado é a aplicação de todos os resíduos utilizados na produção. A madeira serve à produção de biomassa; o solvente da pintura, à reciclagem; o resíduo orgânico é compostado; e o efluente tecnológico passa por uma Estação de Tratamento para reutilização em descargas, limpeza do piso ou teste em máquinas.

“Buscamos soluções ambientalmente corretas para cada resíduo. O aterro tem o tratamento controlado, mas a sua vida útil é temporária. Entendemos que todo o nosso material pode ser transformado e passamos a enviar o mínimo de resíduos para esses locais”, afirma a analista ambiental da New Holland Construction, Milena Vieira.

(Fonte: Assessoria de Imprensa)